Curiosidades > Dicas > Sem categoria

O que é o Ramada?

Por Paula Maluf | 26 maio 2017

O Ramadã (ou Ramadão) é o 9º mês do calendário do Islã. Durante este período, o povo muçulmano coloca em prática um ritual de jejum (suam), considerado o 4º entre os 5 pilares do islamismo.

Entre outros aspectos, é um período onde a fé passa por um processo de renovação, a caridade é praticada com intensidade e os valores da vida em família e de fraternidade são profundamente vividos. Durante o Ramadã, o crente aproxima-se mais dos valores sacros, lê com maior ênfase o Alcorão e torna mais frequentes as visitas à mesquita.

De acordo com o islã, Maomé caminhava pelo deserto, perto de Meca, 610 d.C., onde atualmente localiza-se a Arábia Saudita. Certa noite, uma voz vinda do céu o chamou. Segundo a tradição islâmica, era a voz do anjo Gabriel que disse a Maomé que este havia sido escolhido para receber a palavra de Alá. Nos anos posteriores, foi também através do anjo que a revelação de Alá foi transmitida a Maomé, que começou a pregar os versos que seriam transcritos e comporiam o livro sagrado islâmico.

 

Como é a primeira noite do Ramadã?

Em muitos lugares pelo mundo, os muçulmanos estarão olhando para os céus durante a noite. Eles estarão interessados em saber se poderão ver a Lua crescente. Se ela estiver visível, este será o sinal para o início do mês de Ramadã. (na maiorias dos países, as autoridades farão uma proclamação sobre o início do Ramadã). Nenhum jejum começará até o dia seguinte pela manhã. Os muçulmanos acordarão cedo para comer seu café da manhã antes do sol raiar. Depois disso, não comerão ou beberão nada até que a noite venha. Esta será sua experiência diária pelos próximos 30 dias.

 

Por que o Jejum?

O jejum é um dos cinco pilares da religião do Islã e uma das formas mais elevadas de adoração islâmica. A abstinência de prazeres carnais e o evitar intenções e desejos malignos são considerados atos de obediência e submissão a Deus, bem como o perdão dos pecados e erros cometidos. Chamado de Ramadã (ou Ramazã), os Muçulmanos jejuam durante este mês sagrado do momento em que o sol nasce até o momento em que se põe. Os muçulmanos consideram o jejum um ato de fé e adoração para Alá, procurando suprimir seus desejos e aumentar sua pureza espiritual. O ato de jejuar juntos como uma comunidade global – Ummah – afirma a irmandade e a igualdade dos homens diante de Alá.

Além de não poder ter relações sexuais, o crente é proibido de pensar em tais práticas, mantendo sua mente com o foco em Alá, suas recordações e orações. São realizadas 5 orações por dia (sala) e durante o mês de jejum é recitado o Taraweeh, que é uma oração especial feita à noite.

O crente deve se manter longe de coisas imorais, visto que o Ramadã é uma prática que envolve a doutrina e disciplina moral e do espírito. O jejum refere-se unicamente à abstinência da bebida e da comida, mas de dos maus atos e pensamentos. O jejuador precisa ser condescendente caso seja alvo de insulto ou agressão, evitando obscenidades.

 

A partir de quando e quem pode praticar o Jejum?

O Ramadã é um ritual obrigatório para os muçulmanos que atingem a puberdade. É, acima de tudo, um momento de extrema importância na vida dos jovens. A autorização dos pais para praticar o jejum é o símbolo da passagem da juventude para a vida adulta.

Porém, o Ramadã não é obrigatório quando a pessoa tem uma doença sem cura, é muito idosa, está menstruada, lactante, grávida ou está passando por alguma enfermidade que a impeça de jejuar. No caso de pessoas que quebram o ritual, comendo, bebendo ou tendo relações sexuais no período em questão, o Ramadã é anulado e o crente é obrigado a fazer jejum por 60 dias sequenciais.

 

O calendário Islâmico

O Calendário Islâmico é baseado no ciclo lunar. O mês de Ramadã é o nono mês e começa com uma combinação da lua nova e de cálculos astronômicos. O tempo exato do Ramadã às vezes varia de local para local, conforme eles se baseiam muito no avistamento da lua enquanto outros dependem da ciência. Um Imã (um santo homem muçulmano) irá declarar o tempo exato do Ramadã antes deste início. O período de jejum termina com a aparição da próxima lua nova, que ocorre após 29 ou 30 dias.

Islam, islamic, quran.

 

O significado do Ramadã

O nome Ramadã deriva da palavra àrabe ramida ou ar-ramad, que denota um calor intenso e escaldante e sequidão, se referindo especialmente ao chão. Da mesma palavra, deriva o termo ramdaa, que significa “areia cozida pelo sol” e o famoso provérbio Kal Mustajeer minar ramadaa binanar – “saltar da frigideira para o fogo”. Alguns dizem que é isto porque o Ramadã escalda os pecados com boas obras, conforme o sol queima o chão.

 

O Sentimento especial do Ramadã

O Ramadã traz um sentimento especial de empolgação emocional e zêlo religioso entre os muçulmanos de todas as idades. Apesar do jejum ser obrigatório somente para os adultos, crianças de até oito anos observam o jejum de livre e espontânea vontade, acompanhando seus pais. As crianças ficam ansiosas pela empolgação de ver a lua e comer refeições especiais com suas famílias. Os adultos apreciam a oportunidade para dobrar suas recompensas de Deus e procurar perdão por pecados passados. Conforme o Ramadã enfatiza a irmandade e a comunhão muçulmana, todos sentem uma proximidade especial.

Um dia típico de jejum começa com o despertar bem cedo por volta das 4:30 e o jejum começa ao nascer do sol, por volta de 5:10. Conforme o sol nasce, a primeira das cinco orações diárias, a Fajr é feita.

Conforme o dia continua, os muçulmanos em jejum são constantemente avisados por seus estômagos que é hora do café da manhã, do lanche, do almoço, etc. E cada vez que isso acontece, eles se lembram que estão jejuando unicamente pelo propósito de agradar a Alá e para buscar sua misericórdia. Eles fazem a segunda e a terceira oração durante o início e o fim da tarde. O jejum ajuda a pessoa a pensar como um faminto se sente e o que é ter um estomago vazio. Ele ensina a compartilhar o sofrimento do menos afortunado. Os muçulmanos acreditam que o jejum leva a pessoa a preciar os dons de Alá, que normalmente não são notados – até que se sente falta deles!

Durante o dia os muçulmanos são encorajados a sair de suas rotinas para ajudar os necessitados, financeiramente e emocionalmente. Alguns acreditam que uma recompensa por uma boa obra ganha durante este mês é multiplicada por 70 ou até mais. Por isto, o Ramadã também é conhecido como o mês da caridade e da generosidade.

Para um muçulmano, jejuar não só significa se abster de comida, mas também se abster de todos os vícios e males cometidos conscientemente ou inconscientemente. Acredita-se que se uma pessoa se voluntaria a se abstar de comidas permitidas e do sexo, ela terá mais força para evitar coisas proibidas durante o resto do ano.

 

Quebrando o jejum diário durante o Ramadã

O Jejum é quebrado após o pôr do sol. O profeta Maomé recomendou quebrar os jejuns com encontros. Os muçulmanos são incentivados a convidar outros para quebrar o jejum em comunhão. Estas reuniões são chamadas de festas de Iftas. Logo após quebrar o jejum e após o jantar, os muçulmanos fazem a quarta das cinco orações diárias, que é chamada de oração Maghrib. Após a janta, os muçulmanos vão para suas casas de adoração, chamadas de mesquitas, para fazerem a oração Isha, que é a última das últimas cinco oraçòes. O dia termina com uma oração voluntária especial, a Taraweeh, que é feita pela
congregação recitando o Alcorão, o livro sagrado do Islã.

 

Os últimos 10 dias do Ramadã

Os últimos 10 dias do Ramadã são considerados especialmente abençoados, com destaque para a 27ª noite que é chamada de “Noite do Poder”, ou “Noite do Destino”. Acredita-se que nesta noite, o profeta Maomé recebeu sua primeira revelação do Alcorão. Para muitos muçulmanos, este período é marcado por uma intensidade espiritual e eles podem passar estas noites orando e recitando o Alcorão.

Após 30 dias de jejum, o fim do mês do Ramadã é observado com um dia de celebração, chamado de Eid-ul-Fitr. Nest dia, os muçulmanos se reúnem num local para oferecer uma oração de graças. Tradicionalmente se utiliza roupas novas e se visita amigos e parentes, há trocas de presentes e receitas de comidas especiais para esta ocasião são preparadas. Após isto, eles aguardam pacientemente o próximo Ramadã.

 

O que a Bíblia diz sobre o Jejum

Na Bíblia não encontramos nenhum método de jejum que é obrigatório para nós, mas o Senhor Jesus disse “quando jejuardes…” (Mateus 6:16), dando a entender que Seus seguidores deveriam imitar Seu próprio exemplo. Nós jejuamos como um símbolo exterior de nossa devoção a Deus, nos dispondo a nos privar de alimentos por Sua causa. O jejum dá mais intensidade à nossa oração, e frequentemente nos leva a vitórias em oração. Nós não jejuamos para convencer ou persuadir a Deus, mas sim para nos identificarmos com seu Coração e com Seu desejo de que toda a humanidade O conheça. “O jejum que desejo não é este: soltar as correntes da injustiça, desatar as cordas do jugo, pôr em liberdade
os oprimidos e romper todo jugo? Não é partilhar sua comida com o faminto, abrigar o pobre desamparado, vestir o nu que você encontrou, e não recusar ajuda ao próximo?” (Isaías 58:6 e 7)

Comentários

comentários



Paula Maluf

Paula Maluf
Ana Paula Cardoso Maluf, nascida em 1971 em São Paulo é consultora de viagem da agencia Teresa Perez e colunista da radio ConectCar SP RIO FM. Sempre gostou muito de viajar e afirma que é a melhor maneira de se investir o seu dinheiro. Nos últimos anos o avião se tornou sua segunda casa e então ela decidiu dividir suas dicas com seus amigos. Começou com uma novidade no Instagram, falando cada semana de um destino diferente que já foi. Depois veio o facebook e agora o Blog. Aproveitem!!!




Posts mais lidos



Instagram

🇧🇷 Reconhecido em todo o mundo, o Cirque du Soleil tem buscado constantemente evocar a imaginação, invocar sentidos e provocar emoções. Aqui em Montreal está passando o VOLTA e nós fomos conferir! É a história fascinante sobre a liberdade de escolha e a emoção de traçar a sua própria trilha. Nós adoramos a história! Vale a pena conferir! ----- 🇺🇸 Recognized throughout the world, Cirque du Soleil has constantly sought to evoke imagination, invoke senses and provoke emotions. Here in Montreal is passing the VOLTA and we went to check! It's the fascinating story about freedom of choice and the thrill of charting your own trail. We love the story! It is worth checking! #checkincompaulamaluf #paulamalufviagens #canada #montreal #oldport #cirquedusoleil #volta

Uma publicação compartilhada por Check In com Paula Maluf (@checkincompaulamaluf) em



Facebook