Amazonas

Brasil > Destaque > Destinos
10 agosto 2020

Amazônia

a1 24

Cobrindo mais de 2,1 milhões de quilômetros quadrados de terreno tropical, a biodiversidade da floresta amazônica é impressionante. Oito dos 20 maiores rios do mundo estão localizados na bacia amazônica, onde um quinto da água doce da Terra é encontrada.

O maior Estado brasileiro possui 98% de sua área florestal, hotéis intactos e requintados dentro da selva localizada perto de sua capital, Manaus , que fornecem uma ótima maneira de observar a fauna e flora locais.

Premiada mundialmente, como o melhor destino de ecoturismo do mundo, oferece atividades que incluem passeios com guias locais e naturalistas bilíngües, de canoa no interior da Floresta Amazônica, trilhas para observação da fauna e flora amazônica, visita às comunidades ribeirinhas, pesca e uma excursão noturna para observação de animais que são ativos durante a noite. Essa sem dúvida, será uma experiência para ser lembrada por toda a vida.

Manaus

a1 15

Manaus, uma das cidades mais ricas do Brasil, está localizada no ponto em que o rio Amazonas começa oficialmente.

Não é à toa que a cidade está na rota do turismo quando o assunto é a Floresta Amazônica e muita natureza.

A capital do Amazônas é dona do título de melhor destino verde em toda a América Latina, em meio a uma das áreas mais ricas em biodiversidade do planeta, a cidade encanta com a combinação de selva de concreto e natureza espetacular.

Manaus já foi uma das cidades mais avançadas  e ricas do mundo na época do ciclo da borracha. Muitas atrações daquele período ainda podem ser visitadas nos dias de hoje e são quase que obrigatórias a todos que chegam até o coração da Amazônia

Manaus não vive apenas de belas paisagens. A capital tem muita história a oferecer e é isso que vamos conhecer!


Hotel Villa Amazônia

Em Manaus, escolhemos o Hotel Villa Amazônia para nos hospedar!

Localizado no centro histórico de Manaus, o Villa Amazonia é uma combinação de arquitetura do início do século XX junto ao design brasileiro contemporâneo.

É o primeiro “Hotel Boutique” da cidade que trás toques de sofisticação aos arredores do Teatro Amazonas.

Para virar hotel, o casarão amarelo foi todo restaurado e se transformou em um prédio moderno, de quatro andares com apenas 30 apartamentos. Toda a sua decoração foi
feita com mobília e objetos de design que remetem a antiquários e à cultura regional.

Um charme.

Lindíssimo mesmo! Estou APAIXONADA por essa piscina misturada no verde! 

hv0
hv1




Largo São Francisco

Você sabia que o Largo São Sebastião foi o lugar que inspirou Copacabana no Rio de Janeiro?

Pois é… descobri isso hoje! Olha o piso das fotos!

Um dos pontos mais queridos pelos manauaras, o Largo, como é carinhosamente chamado pelos moradores da capital do Amazonas, é atualmente o melhor local do centro histórico de Manaus, e um dos melhores de toda a cidade, onde reúne grandes monumentos da história manauara, como a Igreja de São Sebastião, o Palácio da Justiça e o consagrado Teatro Amazonas.

Seu piso de pedras portuguesas formam ondas pretas e brancas – e teriam chegado ao Brasil antes daqueles de Copacabana (alguns historiadores apontam que o calçamento de Manaus data de 1901 e o de Copacabana, somente em 1922).

A praça possui mais de 3.478,04 metros quadrados de ladrilhos com desenho que lembra o vai e vem das águas barrentas do Rio Solimões quando encontram o morno Rio Negro para juntos fazerem nascer a imensidão da bacia amazônica.

Nâo vou discutir o mérito… só sei que o granito em preto e branco é mais que um charme da praça São Sebastião.

Fiquei encantada com com o lugar!

lss


Palácio Rio Negro

Esse realmente é o  lugar mais conveniente de se visitar para se ter ideia do luxo de Manaus no período áureo da borracha.

Naquela época não bastava ser rico, era preciso ostentar.

A prova viva é o Palácio Rio Negro que pertenceu a um dos comerciantes mais ricos da época, o alemão Waldemar Scholz, dono deste palacete considerado a mais luxuosa residência que havia em Manaus naquele período. Conhecido como “Palacete de Scholz”, a casa fabulosa foi construída na avenida Sete de Setembro, onde hoje é o Centro de Manaus, em um terreno de mais de 4.700 metros quadrados.

A fachada do prédio preservado encanta aos olhos por tanta riqueza nos detalhes, e seu interior é uma viagem a um passado não muito distante

Atualmente, o centro é um espaço de exposições permanentes, que incluem bustos de autoridades públicas, quadros de artistas famosos, como Moacir Andrade e Branco e Silva, e fotografias penduradas no salão nobre de todos os governadores do Amazonas.

Tem visitas guiadas e não é necessário o agendamento prévio e é gratuito.

Infelizmente devido ao COVID o palácio esta fechado para visitas internas. Só conseguimos admirá-lo por fora.

a1 23


Museu do Índio

O Museu do Índio de Manaus é o maior e mais amplo museu da história indígena no Brasil, abrigando mais de mil peças (armas, instrumentos musicais, vestimentas e utensílios domésticos).
Através desse acervo, derivado das missões salesianas, é possível conhecer o modo de vida nas aldeias dos índios do Alto Rio Negro (Yanomami, Tukano, entre outros).
O Museu possui uma pequena biblioteca, voltada para a temática dos povos indígenas. O espaço está aberto ao público.
O ritual fúnebre, o ritual do pega-moça e da zarabatana, para pegar o animal da caça, são os que mais causam curiosidade nos visitantes. O ritual fúnebre consiste em uma cerimônia de danças onde o morto é colocado dentro da sua canoa e é celebrado pelos outros integrantes da tribo. É um ritual onde a morte é celebrada alegremente. Logo após, o corpo dentro da canoa é deixado no rio para ser levado pelas águas (essa eh a celebração de uma das tribos)”.
A visitação é feita juntamente com uma guia que explica o acervo e conta tudo sobre as tribos indígenas do Alto Rio Negro.

Sinceramente, não achei o museu tãooo interessante! Tem algumas curiosidades legais mas de fato não se pode esperar muito! Se você tiver tempo, vale a pena, mas por ser um museu tao importante para o lugar, esperava muito mais!

mi2


Mercado Municipal Adolpho Lisboa

Nossa segunda parada pelo tour em Manaus foi para conhecer o Mercado Municipal Adolpho Lisboa mais conhecido como “mercadão”, um local de comércio de produtos regionais (frutas, verduras, carnes, peixes, medicamentos tradicionais, artesanato).

Com esplêndida arquitetura de ferro em Art Nouveau, está localizado às margens do Rio Negro.

É um espaço onde se encontra a modernidadee ao mesmo tempo que se vive a história da cidade ao se cruzar os portões, pois logo na entrada está o sino que marcava a hora da creolina.

Na parte central conseguimos ver as marcas das balas que transpassaram as janelas de ferro num conflito entre milícias federais e locais.

Com mais de 130 anos de história, e tombado como patrimônio nacional, o Mercado Adolpho Lisboa é também a herança de uma época auspiciosa, resultado da bem sucedida economia
baseada na borracha.

Em 2013 ele foi reinaugurado agora com maior foco em turistas. Agora já mais artesanatos e produtos medicinais!

O lugar é de fato um mercado modelo! 

mm1



Teatro Amazonas

Que lugar apaixonante!
.
No meio da Floresta Amazônica, encontra-se uma peça verdadeiramente encantadora da arquitetura renascentista.

A Ópera de Manaus (também conhecida como Teatro Amazonas) tombado como Patrimônio Histórico Nacional em 1966, é um marco histórico que atualmente abriga a Filarmônica do Amazonas e é palco do Festival anual da Ópera do Amazonas.

Com sua famosa cúpula nas cores da bandeira do Brasil, o Teatro Amazonas guiou o desenvolvimento dessa capital ao longo do século 20, foi elevado a Patrimônio Histórico Nacional e passou a figurar como um dos principais cartões-postais da Região Norte por ser o que sempre foi: uma grande obra de arte.

No espaço mais luxuoso do prédio, o salão nobre (ou sala de baile), as pinturas no teto, do artista italiano Domenico de Angelis, criam uma ilusão de óptica que dá movimento aos personagens.

Outra maneira de conhecer a construção é assistindo a uma das peças ou shows de sua movimentada agenda, que ocorrem quase todos os dias, a maioria grátis.

Mas no atual momento, a casa não está oferecendo peças de show devido ao COVID, o que é uma pena!!! (Um bom motivo para eu ter que voltar! Kkkkkk).
.
A mais importante casa de espetáculos do Amazonas tem, ainda, um museu com peças que ajudam a contar sua história, como as maquetes de óperas do compositor alemão Richard Wagner.

Tudo muito bem conservado. Um passeio que indico para quem gosta de história e se encanta com detalhes e requintes!

ta1
ta7


Restaurantes Manaus

A região Norte do Brasil guarda uma culinária riquíssima. Vou dividir com vocês os restaurantes que fomos durante esses 3 dias pela cidade de Manaus.

Os sabores são únicos e marcantes e quem vem para essa região não pode deixar de provar.

Essas foram as nossas escolhas!

Tambaqui de Banda – jantar

a1 9

Para o nosso primeiro jantar escolhemos um restaurante tipicamente amazonense e um dos restaurantes mais famosos da Região Norte do Brasil

Localizado no Largo São Sebastião, próximo ao Teatro Amazonas, o restaurante Tambaqui de Banda é um daqueles restaurantes que você se surpreende. De fachada bem simple e com mesinhas de bar na rua você consegue observar o movimento dos locais e dos turistas passeando entre as casinhas da praça toda iluminada.

A especialidade da casa é o peixe tambaqui de banda de água doce assado na brasa, muito popular nas receitas de pratos regionais. Vem acompanhado de baião de dois ou arroz branco, farofa e vinagrete. Ainda pedimos uma salada bem gostosa.

Se não quiser jantar você pode comer uns petiscos da região como pastel de queijo de coalho ou iscas de pirarucu.

A minha dica é peçam a sopinha de peixe para degustação. Ela é servida em copo de bar e é super saborosa. Eu amei!!

Custo benefício excelente! Aprovadíssimo!

a3 12

A peixaria está localizada na Avenida Tancredo Neves, 9, próximo a bola do Mindú. O local funciona de segunda a sábado, das 11h às 16h e 18h às 23h, nos domingos das 11h às 16h. Informação pelo telefone (92) 3236-5995.

Fitz Carroldo Bistro – almoço

a1 10

O Fitz é realmente um restaurante delicioso. Esta localizado dentro do hotel que  os hospedamos, o Villa Amazônia. Foi aqui que tomamos todos os dias o nosso café da manha, que por sinal super completo e delicioso.

Resolvemos experimentar também o almoço. E olha estava divino!

O restaurante é bem intimista e fica no segundo andar do hotel. A culinária é contemporânea e combina clássicos internacionais com ingredientes exóticos da Amazônia. O cardápio é  bem variado e a música ambiente brasileira e de ótimo bom gosto.

Como estávamos em cinco pessoas a variedade foi  grande.

Eis as ecolhas:

Tambaqui com batata soutee

Brusqueta de cogumelos com queijo coalho

Bolinho de pirarucú com geléia de pimenta

Steak tartar com pão de castanha

Lombo de pirarucu ao pesto de castanha com pure de batata doce (esse foi a minha escolha e estava simplismente D I V I N O!).

Uma das minhas filhas não come absolutamente nada. E para a nossa salvação o kids menu reinou que foi uma benção! Para ela penne e nuggets!!!

Não posso deixar de comentar que o  couvert vem com pães quentinhos e geleia de cupuaçu. E caso queira eles vendem essa geleia no restaurante.

O saldo foi pra lá de positivo! Comida saborosa, com apresentação linda. Tudo muito gostoso mesmo!

O único senão que não posso deixar de comentar foi o calor absurdo que passamos dentro do restaurante por conta do desligamento do ar condicionado. É minha gente, vamos que vamos nos adaptando ao novo normal!!!

a5 10

O Fitz Carroldo Bistro abre todos os dias durante o café da manhã, almoço e jantar.

Rua Dez de Julho, 315 – Centro – Manaus (+ 55 92) 3308 8996 – (+ 55 92) 3347-7829

Caxiri – almoço

a1 11

Hoje o almoço foi um verdadeiro requinte e com direito a um belo ar condicionado!!!

Escolhemos o resaturante Caxiri  que funciona no segundo andar de um casarão centenário.

Uma explosão de sabor! A combinação do melhor sabor amazônico junto com ingredientes locais e associados a criatividade do chef  paulistana Debora Shnornik (que tem no currículo 5 anos como sous-chef de Paola Carrosella no Arturito) fazem do Caixiri com certeza o melhor restaurante da cidade.

Nossas escolhas para a entrada: 

Palitinho de tapioca – Homus (isso mesmo, com um marido de descendencia libanesa a gente nem reclama)  e um Ceviche

Nosso prato princiapal foi arroz de tomate com camarão. ESPETACULAR!

As porções são muito bem servidas. E para finalizar não resisti e pedimos um belo churros de sobrenmesa.

O restaurante possui um excelente menu, com diversas opções. O atendimento é simpático e bem atencioso. E o ambiente é descolado e intimista com vista incrível do Teatro Amazonas.

O almoço durante a semana tem menu executivo com preço convidativo. Perfeito também happy hour com os amigos.  – É aconselhável fazer reserva.

a15 1
a16 2

Rua 10 de Julho, 495, Centro, tel. 92 3304-8700

Moquem do Banzeiro – jantar

a1 13

O restaurante utiliza ingredientes regionais para confeccionar pratos muito criativos e sofisticados. As receitas preparadas ao calor da brasa são a atração da casa inaugurada em 2016

Moquém quer dizer assado na brasa e faz referência a uma espécie de grelha indígena montada com pedaços de pau.  Com isso quase todas as receitas do cardápio são levadas a brasa.

O chef Felipe Schaedler se dedica há quase uma década à frente do Banzeiro.  Ele oferece para o público um cardápio recheado de peixes.

Para a entrada pedimos Barquinhas de Tapioca e Iscas de Peixe. Para o prato principal escolhemos Tambaqui na folha de bananeira com Tucupi defumado. D I VI N O.

Um espaço extremamente sofisticado! A decoração toda remete a Amazônia desde fotos, mapas e uma parede coberta por cerâmicas que lembram escamas de peixe.

Fica na galeria da Cristal Tower, ao lado do Shopping Manauara.

Avenida Jornalista Umberto Calderaro Filho, 455, Galeria Cristal, Adrianópolis, ☎ 3342-2042 (101 lugares). 11h30/23h (sex. e sáb. até 23h30, dom. até 22h).

Banzeiro

a1 14

Para fechar a nossa estádia em Manaus fomos ao restaurante Banzeiro também comandado pelo chef Felipe Schaedler que também mostra a riqueza da culinária desse estado do norte.

Banzeiro é como se chamam as ondinhas que os barcos provocam quando estão em movimento. O premiado restaurante é espaçoso, com decoração super regional e com um atendimento excelente.

O cardápio é cheio de opções, desde os famosos peixes da Amazônia às carnes e aves.

Os pratos são deliciosos e bem servidos. Como de costume pedimos varias entradinhas e um prato principal para podermos experimentar um pouquinho de tudo.

Olha foi uma surpresa. A entrada com formiga me deu um pouco de receio mas no final  não me surpeendeu, mas foi interessante.

Nosso cardápio

Formiga Formiga Saúva com espuma de Mandioquinha

Tapioca

Variedade de pasteizinhos (camarão, pirarucu com banana, pato, tucumã, camarão e aviú – que é tipo um mini camarãozinho)

Costela de Tambaqui

Camarão empanado amazônico

E para fechar com chave de ouro pé de moleque de banana para a sobre,esa. Divino. Não sobrou nada.

Não é um restaurante barato, mas vale cada centavo do que se paga.

Comida M A R A V I L H O S A! Lugar gostos! Que experiência única e incrível exótica…comer formiga não é para todo muno!

Dica: como o restaurante é famoso e tido como um dos melhores da cidade é bom fazer reserva.

Rua Liberator, 102 – Nossa Senhora das Graças -Horário de Funcionamento:  seg-qui 11h30-15h30 – 18h30-23h30 | sex-sáb 11h30-16h – 18h30-23h30 | dom – 11h30-16h – 19h-22h



Arquipélago de Anavilhanas

Uma imagem que impacta! Uma vista maravilhosa…

Durante o nosso voo que nos levou para o Anavilhanas Jungle Logde eu não cansei de admirar e tirar milhares de fotos dessa paisagem tão surreal!

Um dos maiores arquipélagos fluviais do mundo está localizado em Rio Negro, a 100 km de Manaus , próximo ao município de Novo Airão.

Cerca de 400 ilhas formam um labirinto natural e um dos mais belos exemplos de paisagens naturais da Amazônia.

O Parque Nacional Anavilhanas foi criado para preservar o arquipélago, classificado como Patrimônio Mundial pela UNESCO, a fim de proteger o ecossistema amazônico por meio de educação ambiental e iniciativas de turismo sustentável.

Estou indo rumo a floresta amazônica que cobre mais de 2,1 milhões de quilômetros quadrados de terreno tropical onde a biodiversidade da floresta é impressionante.

Oito dos 20 maiores rios do mundo estão localizados na bacia amazônica, onde um quinto da água doce da Terra é encontrada.

Saibam que de 20% do oxigênio do planeta é produzido pela Amazônia.
.
Essa sem dúvida, será uma experiência para ser lembrada por toda a vida!

a1



Anavilhanas Jungle Lodge

Anavilhanas Jungle Lodge não é simplesmente um alojamento na selva localizado na Amazônia: ele faz literalmente parte dela.

Com apenas 22 opções de acomodação divididas entre chalés e bangalôs, o Anavilhanas faz você se sentir em contato constante com a exuberante natureza local.

E isso eu já pude perceber logo que pisei os pés aqui! Tudo rodeado pela floresta amazônica. Meu quarto é um deslumbre!

Estando aqui, agora a nossa única preocupação é estar preparado para explorar esse tesouro mundial o máximo possível junto a guias bilíngües, em muitas atividades que o hotel proporciona.

Estou encantada com o lugar. E ansiosa para ver o que esse destino tão mágico nos proporcionará!

Aqui é uma combinação perfeita de conforto e aventura!

Ahhh…tenho que dizer que chegar de hidroavião é uma experiência única, sobrevoando a imensidão do arquipélago de Anavilhanas, com mais de 400 ilhas. Surreal!!

a1 1



Trilha da Mata Firme

Assim que chegamos aqui no hotel já partimos para um passeio em trilha nos arredores.

Hoje nosso tour foi pela trilha da Mata Firme, cerca de 2km de caminhada na região da floresta situada na parte mais alta do relevo amazônico, onde não há alagamento.

A ideia do passeio é conhecer sobre as árvores, frutas e frutos silvestres, ter orientações sobre a sobrevivência nela e conhecer um pouco sobre as ervas medicinais encontradas ali. As árvores dessa região podem atingir 40 a 50 metros de altura, e é farta a quantidade de espécies raras de plantas e animais.

Durante o trajeto, conseguimos sentir diversos aromas espalhados pelas ávores na floresta inclusive sentir o aroma do perfume Channel n. 5!

A diversão do passeio, nem tanto para mim, foi dar de cara com uma Tarantula!! Enorme e peluda!! Os guias sabem onde elas se escondem e descobrimos um destes esconderijos. De arrepiar.Assistam o vídeo no post!
.
Outra descoberta curiosa foi saber que as formigas espantam os mosquitos! Meu marido sabendo disso colocou várias em seu braço! Meu marido sabendo disso colocou várias em seu braço e esfregou para que elas soltassem o aroma!!! Um cheiro ate que bem agradavel!!! Uma maneira muito inteligente dos indios se protegerem!!! Uma loucura.
.
Esse é um dos daqueles passeios que você não pode deixar de fazer em Anavilhanas!

a1 2


Focagem Noturna no Arquipélago de Anavilhanas

Depois da nossa trilha, tomamos um delicioso lanchinho no hotel e as 18h30 partimos para uma nova aventura na selva.

Agora chegou a vez de vivenciar a floresta durante a noite!

Todos a bordo e partimos!
.
O passeio foi realizado em uma canoa junto com o nosso guia do hotel que foi nos contando sobre a origem e os hábitos de cada animal da região.

A focagem de animais é um passeio de avistamento de animais de hábitos noturnos através de uma lanterna que serve para iluminar (ou focar) os olhos dos animais. É como uma técnica para facilitar a localização deles à noite.

Aqui exploramos os igapós à procura de bichos preguiças, pássaros, cobras e jacarés, imersos nos sons da escuridão.

Além de termos visto um preguiça bem de pertinho, para mim o ponto alto foi navegar pelo meio da floresta alagada durante a noite com lanterna!🔦
.
Parecia cena de filme!
.
A sensação de navegar pelo o rio a noite dá um pouco de medo eu confesso, mas a natureza é explêndida. Com a ajuda das estrelas e da lua tudo ficou mais lindo.


Tour pelo Arquipélago de Anavilhanas a procura de Botos Cor-de-Rosa

Hoje foi dia de navegar pelo arquipelago de Anavilhanas onde estao inúmeros canais, lagos e ilhas.⚓️

Infelizmente o parque ainda está fechado mas conseguimos navegar por alguns desses canais e assim pudemos ver um pouco mais dos vilarejos na borda dos canais.

Nós fomos com o barco Regional da Amazônia, um barco de 2 andares!Um dos grandes símbolos da Amazônia Brasileira é o boto-cor-de-rosa e nós tivemos o prazer de nadar bem pertinho deles! Eles são realmente rosa! Lindos!
.
Uma pena que a maquina não pegou o que nossos olhos viram!

Uma curiosidade que aprendi hoje foi que a cor rosada do boto deve-se a sua heriditariedade. Eles nascem meio marrom e ao envelhecer vão ficando mais rosados.

No barco foi servido um almoço simplesmente espetacular! Digno de um restaurante 5 estrelas!
.
Ao fim do passeio foram amarradas redes no barco onde todos voltaram dormindo….gente tem coisa melhor que isso…dormir no balançao das águas? O passeio toda dura em média 7 horas.

Só posso dizer que foi um dia S U R R E A L…nem de longe em meus sonhos imaginei vivenciar tudo isso por aqui!

a6 1


Gruta Madadá

Hoje foi mais um dia de trilha pela selva amazônica.

Nosso destino? A Gruta do Madadá.

Subimos o rio de barco rapido por 50km ate o acesso para uma caminhada de aproximadamente 1200 metros ate a gruta!!!

Durante o percurso de barco encontramos um bicho raríssimo na beira do rio. Tão raro que nosso guia está aqui há 15 anos e só havia visto 3 vezes até então. Vimos de perto o Gavião REAL. Que bicho maravilhoso!!! Suas asas abertas chegam a 2m de envergadura!!!
.
Aqui na selva vive uma formiga muito maior do que as que costumamos ver nas cidades: a Dinoponera lúcida, também conhecida como formiga-gigante que pode chegar a quatro centímetros de comprimento. Encontramos essas gigantes ja na trilha para a gruta!
.
Dizem que os índios em sua fase de transição da adolescência para a juventude tinham que colocar a mão no formigueiro durante 10 minutos para mostrar o qual macho eles eram.
E, verdade seja dita, a picada é dolorosa! Há quem diga que a dor pode durar até 24 horas e causar febre.
.
Caminhando por 40 minutos de trilha, chegamos pingando de calor nas grutas! São dois conjuntos de pedras, formadas por grandes blocos de arenitos, envoltos por uma exuberante vegetação da floresta equatorial primária. Ali também está o igarapé, a nascente do rio.

Maravilhoso!

Andando pela gruta demos de cara com um sapo e um jararaca bem em cima de nossas cabeças!
.
Depois de uma manhã pela trilha, fomos presenteados com um maravilhoso lanche na estrutura NOVÍSSIMA do Anavilhanas! Fomos o 4o grupo a experimentar! Ficou maravilhoso e sei que estáo com muitos planos para essa nova estrutura ! Tomamos um banho de piscina refrescante, pois por aqui o sol não perdoa, e era tudo o que estávamos precisando!

Quando foi umas 2 horas da tarde, voltamos para o hotel exaustos e mas felizes!!!!

a1 5
a13 3


Passeio Barco Regente pelo Rio Negro

De março a setembro, a Amazônia assiste a um dos espetáculos mais fascinantes da maior floresta tropical do planeta.

É neste período que igarapés confundem a nossa mente com copas de árvores que se fundem no reflexo das águas, em canais estreitos formados por pequenos braços de rio.

Durante o inverno amazônico, as chuvas fortes caem sobre a região, formando esses corredores alagados que podem ser navegados por pequenas embarcações.

Com isso resolvemos mais uma vez passear pelo Rio Negro, que é imenso, a bordo mais uma vez do barco Regente.

E navegamos LITERALMENTE na copa da árvores pelos igarapés!

Pra vocês entenderem, a floresta estava abaixo de nós 10 metros! Durante a seca a água desce e toda esta área se transforma em uma floresta com árvores gigantes.
Aprendemos que as plantas e os animais da floresta alagada na Amazônia vivem em função das suas diversas adaptações especiais para sobreviver durante as enchentes.

As árvores por exemplo têm várias adaptações para sobreviverem quando estão submersas como raízes respiratórias e sapopembas.
Uma curiosidade…. nesses locais são encontrados diversos peixes que se alimentam de frutos, como o tambaqui e o pacu, uma dieta improvável em locais que não alagam.

Meu Deus que coisa mais maravilhosa!!! Fiquei encantada!

Ao entardecer e ainda com muito calor por aqui ficamos nos refrescando do rio e fazendo stand paddle em frente ao nosso hotel.

Não poderia ter desejado um dia melhor que esse!

a1 6


Pescaria Recreativa de Piranhas

Técnica e Prática com Arcos e Flechas genuínos da etnia Waimiri-Atroari

Hoje a nossa manhã foi cheia!

Logo cedo já saímos para uma pescaria pelos igarapés da região, onde tivemos a oportunidade de fisgar algumas piranhas, enquanto desfrutávamos dessa paisagem que eu não me canso de admirar.

Muitos dos peixes servidos nos restaurantes da capital do Amazonas nadam pelas águas dos Rios Negro, Solimões e Amazonas, mas alguns deles são uma tradição restrita aos ribeirinhos, nome dado ao que vive na beira dos rios.

Uma das espécies mais comuns nessas águas, a piranha, faz parte da alimentação de boa parte da população que mora em casas flutuantes próximas à Manaus.

Então por que não vivenciar essa tradição?

Todos a seus lugares, anzóis lançados ao rio e já vimos os primeiros sinais positivos: as iscas começaram a sumir, ou seja, tinham piranhas no pedaço.

Nossa pescaria não foi farta. Pescamos apenas 3 delas. Mas foi muito divertido. Ao final todas as piranhazinhas foram devolvidas ao rio.

Já em terras firmes e em nosso hotel, nos propusemos a uma divertida brincadeira com artefatos originais da etinia Waimiri-Atroari, que se destacam com os arcos e as flechas de ponta de madeira, osso ou ferro, em busca de prática e técnica para acertar a pontaria e o alvo.

Participamos de um duelo de arco e flecha entre nós (pais) e filhos!
Uma farra só!!

Ainda tivemos uma breve aula sobre o modo de vida e costumes dos índios nesta região. Alguns povos, como os Matis, usam zarabatanas com dardos envenenados para capturar a caça. A maioria usa arco e flecha, e alguns também usam.
Para os povos indígenas da Amazônia, a floresta é oberço de origem e de civilização, e a condição de existência, física, cultural e espiritual. A maioria deles vive completamente das florestas, através de uma mistura de caça, coleta e pesca e de plantas que utilizam como alimentos e medicamentos.

Toda essa vivência por aqui está sendo uma enorme aprendizado sobre as origens de nosso país!

a1 7
a7 5
a8 4


Canoagem pelos Igapós e Igarapés do Rio Negro

Hoje o dia foi para navegar no rio! E de fazer força para remar!

Remamos em canoas caboclas de madeira por entre os igapós e igarapés do Parque Nacional de Anavilhanas. Igarapés são pequenos braços de rio, e igapó, a floresta alagada nas suas margens.

Percorrer esses pequenos canais cruzando o Rio Negro hipinotiza…o tempo todo a vegetação é refletida na água escura do rio.Igarapés são pequenos braços de rio, e igapó, a floresta alagada nas suas margens.

Foi indescritível!

É também  maravilhoso navegar pelo labirinto da ilhas com o silencio cortado pelo cantos e revoar das aves é muito emocionante. Os rios mais parecem espelhos. Fauna e Flora em perfeita sintonia.

A Amazônia, tem seus encantos que só quem foi lá entende o que estou falando, é um lugar extremamente mágico com uma beleza exuberante!

a1 8
a2 8
a5 5


.

E para o nosso último dia aqui em Anavilhanas escolhemos madrugar…mas por uma excelente causa: contemplar o sol!

Sim acordamos às 4:30 para sair de barco às 5h da manhã, ainda muito escuro.

Navegamos pelo rio durante uns 20 minutos com o céu ainda escuro. Esperamos então ele surgir em pleno silêncio.

E de repente o céu começa a ficar
todinho alaranjado. E os primeiros raios de sol começam a surgir despontando no horizonte, atrás das árvores.

Aos poucos a floresta começou a ganhar vida!

Um verdadeiro espetáculo. Não é atoa que ele é chamada de REI!

Não poderia existir maneira melhor do que finalizar a minha viagem pelo Amazonas!💚

Muita gratidão por ter a oportunidade de vivenciar tudo isso
com as pessoas que mais amo nesse mundo!

Obrigada a todos que me acompanharam por de trás da telinha do celular. Espero que tenham gostado. De viajar um pouquinho comigo! Até o próximo destino! 

a2 10

a1 18

Fotos Paula Maluf – Google



PUBLICIDADE