Ushuaia, Patagonia Argentina

Argentina > Destinos
28 janeiro 2017

Patagônia

A Patagônia, que está entre o litoral do Oceano Atlântico, na Argentina e o Oceano Pacifico no Chile, possui paisagens totalmente diferentes e impressionantes. São planícies, bosques, glaciares, lagos, vulcões, rios de corredeiras além de um litoral rico em fauna marinha.

 

Ushuaia

Ushuaia está localizada no extremo Sul das Américas do lado Argentino chamada Terra do Fogo. Uma cidade pequena, com pouco mais de 50 mil habitantes e que oferece boa comida, passeios lindos, locais para compras, cassinos e uma natureza unica. Esse destino tem sido cada vez mais procurado por viajantes do mundo todo.

Durante o inverno (fim de junho a inicio de outubro), Ushuaia oferece uma estação de esqui com neve excelente durante toda a temporada. Ja no verão, os passeios são muitos como passeio de barco, visita a uma colônia de pinguins, trekking pelo parque nacional, passeio de 4×4 pelos lagos e até um espetacular passeio de helicóptero.

Vamos falar agora sobre o verão de Ushuaia, onde as atividades são ao ar livre para aproveitar a natureza. São vários os passeios para fazer na cidade, entre eles os de 4×4 que levam aos belos lagos Fagnano e Escondido e o trekking no Lago Esmeralda, que surpreende pela cor da água. Se for verão, o passeio à Pinguinera é bastante popular.

A história de Ushuaia é relativamente recente. A cidade cresceu porque a Argentina precisava se fazer mais presente nessa parte do mundo e a povoação da cidade iniciou-se, de fato, com a construção de um presídio.

 

Navegação pelo Canal Beagle

O passeio de barco pelo Canal Beagle, que banha a cidade, faz divisa entre o Chile e a Argentina e ainda promove o encontro entre os oceanos Pacífico e Atlântico, é perfeito para qualquer idade. Nele inclui além da vista panorâmica de Ushuaia, uma visita na Isla de los Lobos para ver os leões marinhos, uma visita a isla de los Pajaros para ver centenas e centenas de Cormoranes Magallánicos e uma visita ao farol de Ushuaia (Faro Les Eclaireurs), onde naufragou o barco Monte Cervantes em 1930.

O Canal de Beagle, ou Estreito de Beagle, recebeu esse nome por causa do navio HMS Beagle, que fez expedições pela área do canal.   Na segunda viagem do navio estava, entre os exploradores a bordo, o famoso Charles Darwin.

Outras excursões maiores podem incluir no roteiro uma parada com caminhada na Ilha H ou uma visita, sem desembarque, à Isla Martillo (também conhecida como Pinguinera). A Ilha H é uma reserva natural onde é feito um trekking para conhecer a vegetação e os animais que vivem no local; a Isla Martillo é uma ilha para onde os pinguins migram no verão.

 

Farol Les Eclaireurs

O Farol Les Eclaireurs, localizado em uma pequena ilha no Canal de Beagle, é conhecido como farol do fim do mundo, embora o título pertença, na verdade, ao farol construído na Isla de Los Estados, que fica em uma ilha de localização mais austral.

O farol tem 11 metros de altura, iluminação que alcança 7 milhas e se destaca no meio do mar pela pintura em vermelho e branco.

 

Penguinera

O passeio a Isla Martillo, conhecida como Penguinera, esta localizada no Canal Beagle. Esse passeio é bem tranquilo de se fazer. O barco passa por varias outras ilhas mas é na Isla Martillo que estão os quase 16 mil pinguins, sendo quase todos magalhânicos. Este passeio é feito somente nos meses quentes, de setembro a abril, quando os pinguins fazem seus ninhos na ilha. O passeio passa tambem pelo naufragado Buque Monte Sarmiento, que está ali desde 1911. Nesse passeio não há desembarque na ilha dos pinguins.

Se você quer uma aventura ainda mais próxima dessas aves que tanto encantam, há uma excursão que leva um número limitado de pessoas (40 por dia) a ilha, onde voce pode descer na ilha. Deve ser fantástico poder estar tão próximo a natureza e ao habitat natural dos simpáticos pinguins de Magalhães. Portanto, se voce quiser fazer esse passeio, é melhor agendar com antecedência!

O passeio com desembarque tem duração de mais ou menos seis horas. Na ilha dos pinguins, a permanência é de cerca de uma hora.

Após o tempo de passeio na ilha, os turistas são levados outra vez à Estância Harberton, onde podem conhecer um museu de aves e mamíferos austrais, que também tem visita guiada incluída. O museu é interessante, não deixe de visitar!

 

Trekking pelo Parque Nacional Tierra del Fuego

Ushuaia tambem é muito conhecida, principalmente pelos europeus, pelas suas trilhas!!!! São incríveis!!!! Localizadas no Parque Nacional Tierra del Fuego, há trilhas curtas, longas, fáceis, difíceis, para todos os gostos. Voce pode optar em fazer com guias ou simplesmente sozinho! Nós fizemos uma de 10km que vai margeando o oceano e depois entra parque a dentro… vimos muitos castores e aves.

O Parque Nacional da Terra do Fogo foi inaugurado em 1960 com o objetivo de preservar a fauna e a flora do local. Ele está a 11 km da cidade de Ushuaia no final da Estrada Nacional N 3, e tem uma extensão de 63.000 hectares.

A vegetação característica da região é abundante com bosques de lengas, guindos, arbustos, musgo e samambaias. O parque é maravilhoso para caminhadas ou até somente para apreciar a bela Baía de Lapataia com suas colônias de castores.

No parque há vários castores. Os castores, aliás, são animais que destoam do ecossistema e, na verdade, são considerados como “pragas” em Ushuaia. Eles são naturais do Canadá e foram levados a Ushuaia para que fosse iniciado o comércio de pele, mas as condições climáticas em Ushuaia eram diferentes das encontradas no Canadá e o negócio não foi adiante. Os cerca de 20 casais de castores que chegaram a Ushuaia se tornaram mais de 200.000 e não têm predadores; por isso, vê-se muitas áreas de bosques com árvores caídas e destruídas em Ushuaia, além de cursos de rios alterados por ação dos castores.

 

Trem do Fim do Mundo

Nós chegamos ao Parque Nacional da Terra do Fogo pegando o Trem do Fim do Mundo! O Trem do Fim do Mundo foi adaptado ao turismo e utiliza parte do traçado original da ferrovia construída pelos presidiários no final do século XVIII e inicio do século XIX, para trazer lenha dos bosques gelados para aquecer as casas. A Estação do Fim do Mundo, cabeceira da ferrovia, fica a poucos metros da Estrada Nacional N 3.

Ao longo do percurso, há explicações sobre o trem. Após o fechado do presídio em 1947, o trem continuou funcionando para uma serraria até que o grande terremoto de 1949 o destruiu.  Atualmente apenas resta dele uma locomotiva e um vagão de passageiros que se encontram no Museu Marítimo.

Em 1994 nasce a iniciativa de resgatar a historia da viagem dos presos. Sua construção é totalmente nova, porém segue os últimos 7 km (dos 17km antigos) do caminho original construído pelos presos.

No passeio você pode desfrutar da belíssima paisagem e escutar a enigmática história dos presos que fizeram essa mesma viagem.

O passeio leva cerca de uma hora de duração por trecho e faz uma parada com desembarque ao longo do caminho, onde há uma queda d’água e muitas árvores. As opiniões a respeito do passeio são divididas; há quem goste, mas há quem ache muito monótono e até durma no caminho. Nossa experiência foi positiva, achamos o passeio bacana pela história que conta, mas não vemos necessidade de fazer ida e volta. O trem se locomove bem devagar, fazendo com que a viagem seja lenta. A paisagem vista ao longo do trajeto são lindíssimas, com muita área verde, montanhas, bosques; mas o trem se locomove bem devagar e muita gente acha a viagem entediante.

 

Glaciar Martial

O Glaciar Martial (ou Geleira Martial) está localizado a 7 km do centro da cidade. É a fonte de água potável mais importante de Ushuaia e um importante polo de turismo da região em diferentes estações do ano. Durante os meses de inverno funciona como um Centro de Esqui, enquanto no verão é um lugar ideal para trekking ou caminhadas curtas.

Para alcançar o glaciar pode-se utilizar o teleférico (aerosillas) ou as caminhadas (em subida bem íngreme). O lugar é muito bonito, tem neve quase o ano todo – ainda que a quantidade seja pouca – e está cercado por uma paisagem natural deslumbrante, com água do degelo, árvores e os Andes. Esse é um passeio imperdível na cidade e pode ser feito por conta própria. A visão lá em cima da cidade de Ushuaia , do canal Beagle e da natureza ao redor, é surpreendente!

No inverno, o Martial funciona como estação de esqui, embora sua estrutura seja muito inferior à do Cerro Castor. No Cerro Martial há apenas uma pista e, se você não precisa de muita estrutura, quer apenas brincar na neve ou aprender os movimentos básicos dos esportes, é uma boa opção.

Na base do teleférico está a charmosa casa de chá La Cabaña e há algumas outras atividades que podem ser feitas na base, como a tirolesa e a descida de bicicleta pelo meio do bosque até a cidade de Ushuaia.

 

Lago Escondido

Um dos passeios que fizemos foi uma trilha no Lago Escondido! O lago está cercado por bosques e pode ser visto da Ruta N3. Nós caminhamos até a costa do lago e depois fizemos uma outra caminhada em seu entorno.  Descemos até aquela casinha de teto verde (na foto)

Lá em baixo, ao lado do lago, tem uma cabana que oferece a melhor “empanada” que já comi na vida!!!! Eles também oferecem um churrasco argentino muito bem feito.

O Lago fica aos pés da cordilheira e é possível praticar canoagem, programa para os mais animados e aventureiros!

Sei que existe um passeio de 4×4 que vai até esse Lago, acho que pode ser que valha a pena!

 

Passeio de trenó de cachorro

Um passeio bastante conhecido em Ushuaia é em um trenó na neve puxado por cachorros. Esse passeio é oferecido durante o inverno, em centros invernais, e o trenó é puxado por diversos cachorros da raça husky siberiano. A atividade tem curta duração (cerca de 10 minutos) e a velocidade que os cachorros puxam as pessoas é bem rápida.  No verão é possível fazer tambem pois o trenó tem rodas, mas nós preferimos acariciar os cachorros… são lindos!!!!

 

Museu Marítimo

O Museu Marítimo de Ushuaia localiza-se no edifício do antigo Presídio de Ushuaia, onde eram presos os criminosos mais perigosos e que foi fechado em 1947. Declarado Monumento Histórico Nacional em 1997, o prédio abriga hoje o museu com suas coleções de modelos navais e conta a história do descobrimento antártico, de diferentes aspectos da fauna austral, os primeiros habitantes e a vida no presídio.

 

Sobrevoo em helicóptero

Um dos passeios mais caros em Ushuaia é infelizmente um dos mais inesquecíveis: o sobrevoo de helicóptero. Ele dura cerca de 30 minutos sobrevoando a baía de Ushuaia, o canal Beagle, o porto, a cidade, o vale do rio Olivia, o Monte Olivia, o Monte Cinco Hermanos e outros. Durante o passeio ele aterrissa no meio da cordilheira, no cume chato do Cerro Le Cloche.

O serviço é feito em pequenos aviões ou em helicóptero e tem tempo de duração e roteiros diferentes.

Antes da decolagem é preciso assistir a um vídeo educativo e assinar um termo de responsabilidade. Em seguida os passageiros são guiados para a pista, onde acontece a decolagem. O piloto diz ao longo do percurso por onde está passando e explica sobre a região.

Ver a cidade de cima dá uma perspectiva totalmente diferente. A cidade é linda em terra firme, imagine de cima!

Dê preferência a um momento em que o tempo estiver ensolarado e curta as paisagens da cidade de um ângulo extraordinário.


Av San Martín

Falando um pouco sobre o centro de Ushuaia, a Av. San Martín é a principal rua e o lugar que concentra grande parte do comércio da cidade. Nessa rua você encontra lojas de equipamento fotográfico, kioskes, restaurantes, farmácias, casas de câmbio, posto dos Correios, lojas de lembranças, além de várias lojas que vendem material esportivo e roupas de inverno.

Se a ideia é fazer compras, basta caminhar pela Av. San Martín para encontrar quase tudo que Ushuaia tem a oferecer.

Ushuaia é uma cidade pequena, mas essa rua é uma das que mais sofrem com o trânsito de veículos e pode ficar congestionada nos momentos de pico. No início e no fim do horário comercial, é mais indicado utilizar outras ruas paralelas.

 

Porto de Ushuaia

O Porto de Ushuaia é o ponto de partida de diversos cruzeiros que vão para a Antártica durante a temporada de verão e de passeios que fazem navegação no Canal de Beagle.
A região do porto tem embarcações de vários tamanhos, algumas delas nem estão mais em atividade, outras naufragaram. Na área do porto estão diversas agências turísticas que oferecem a navegação pelo canal e a placa onde muitos turistas tiram fotos com a inscrição “Ushuaia – Fim do Mundo”. Não deixe de fazer o seu registro lá também!

Uma caminhada pela área externa do porto, no calçadão ao longo do canal, é um programa leve e muito bonito, principalmente se você escolher para passear um horário em que estiver fazendo sol.

 

Quando ir

A melhor época para ir a Patagônia é entre novembro e março, primavera e verão, quando o clima é menos frio e os dias são mais longos. Depois de março o clima é chuvoso ou com neve e os ventos muito frios. Mas não se iluda, mesmo no verão os ventos são fortes e as temperaturas próximas de zero nas madrugadas.

No inverno a região tem uma excelente infraestrutura para a prática de esqui, e a região divide com Bariloche e Las Lenas os turistas amantes do esporte, com pistas de neve fofas e paisagens belíssimas! 

 

Como chegar

Não há voos diretos para Ushuaia ou El Calafate do Brasil. Saindo de São Paulo ou outras capitais sua escala será Buenos Aires, dando uma excelente oportunidade para curtir a capital portenha e suas belezas por um ou dois dias!

 

O que levar

Essencial numa viagem a Patagônia é estar preparado para o frio e para o vento forte, por isso um casaco corta vento (anorak) é indispensável, assim como botas de caminhada, roupas resistente ao frio, luvas, gorro, óculos escuro e protetor solar para usar nas caminhadas e passeios ao ar livre.

 


PUBLICIDADE